21 agosto 2011

It's a long way

clê,
desculpa a demora pra te responder.
quando tu viajastes, centenas de grossas correntes entrelaçaram meu peito.
todo dia, todo santo dia, elas me apertam mais um pouquinho.
só que eu descobri uma coisa: quando a música no meu carro tá muito alta, é como se as ondas sonoras me libertassem desse nó.
eu canto desesperadamente, coloco o braço pra fora do carro, e canto bem, bem alto, pra ver se tu consegue me ouvir aí, em minas.
mas eu nem sempre estou no carro, faculdade dirijo casa dirijo trabalho dirijo casa. são pequenas injeções de momentos em que eu não me dôo com essa saudade imensa de ti.
a cidade continua quente e cheia de buracos. a diferença é que agora eu escolho as ruas que tenham mais buracos, assim eu dirijo mais devagar e fico alguns minutos a mais sem essa dor no peito. deu pra entender?
parei de adiar tudo pras férias, te contei? aquele livro a pintura do quarto a faxina do guarda-roupa a tatuagem o esmalte vermelho as caminhadas o chororô o cigarro a ioga. tudo. tô fazendo tudo.
enfiei na cabeça que o tempo que eu tenho é esse e pronto. listei tudo, pra não esquecer do que quero fazer mas não sigo necessariamente ordem alguma, da lista. é só pra não esquecer mesmo. pena que você não tá aqui pra ir tomar banho de rio comigo, em plena quarta-feira.
desenterrei uns cd's e tenho ouvido muita coisa antiga. tô te enviando um cd com essas músicas, você pre-ci-sa ouvir transa, do caetano veloso. "woke up this morning/ singing an old, old beatles song/ we're not that strong, my lord/ you know we ain't that strong" ou até "i'm alive and vivo muito vivo, vivo, vivo/ feel the sound of music banging in my belly/ know that one day i must die/ i'm alive". Lindo.
não vou me prolongar. preciso ir, hoje fico até as 20h no trabalho. a parte boa é que eu tenho uma rua bem esburacada pela minha frente.
p.s.: eu sei que você odeia quando as pessoas esquecem das letras maiúsculas. por isso, me policiei pra escrever sem nem uma, pra ver se você fica bem agoniada e volta logo pra casa. repare que esqueci muitas vezes e tive que usar corretivo. desculpe por isso também.
amor,
lis.



9 comentários:

Rafael disse...

Consegui! asiuhaisuas
Parabéns. Nossa, vc sempre traz textos que são tão lindos,tão profundos. Como já te disse, vc me arrepia ao escrever.
O que gosto neles talvez seja esse tom de realidade, que nós faz sentir envolvidos. Que nos faz imaginar toda uma história por traz de tudo. Que nos faz rir com coisas simples.
E seus textos tem um tom quase que sonhador. Ou o dom de ser sonhador.

Tehany disse...

Vai ficar até repetitivo dizer mas, MANDOU BEM PRA CARALHO!
Adoro essa criatividade, a simplicidade com que se expoe as coisas complexas.

Gostei muito. rsrs

Ágda disse...

Um monte de Clê's estão voltando de Minas neste exato momento. Revoltadas. Mas não com o assassinato totalmente assumido da ortografia com propósitos de chamar atenção. E isso é uma total verdade. Mortes sempre chamam mais atenção.
Mas veja bem, Clê volta é de saudade.
Saudade de cantar bem alto no carro contigo. De pintar a unha e tirar. Saudade de tudo isso aí que a Lis falou.
Não sei, mas penso em terras geladas. Conto para pessoas que estão indo para terras geladas.
Mas guente. Algo que diz que elas também cantam que "nosso amor está mais firme do que quando começou".

Puma Azul disse...

Engraçado, eu tb te esganaria por ter tirado as maiúsculas...
Dessa vez vai passar pq eu me identifiquei com a saudade, com a piração de ter só um pensamento, só uma vontade e só um nome na cabeça...
Esse sentimento de querer-bem que não se conforma com as distâncias geográficas faz parte da vida de quem se permite sentir, é parte do pacote do "afeto" e, pra mim, é um sintoma de que "viver" valeu à pena.
Adorei!

Tiazil disse...

Cuidado com esse aperto no peito!
A última vez que senti o peito comprimido, apertado, o ar faltar, eu podia apostar que era saudade... O médico cismou que era asma e me internou durante três dias! Pasme!
Ainda acho que ele errou no diagnóstico e eu tomei todas aquelas injeções! É SAUDADE! Eu juro.

Priscila disse...

Então que eu me vejo, de novo, com as palavras entaladas na garganta, meu bem. Nada que eu diga vai ser capaz de traduzir o que eu senti quando fui aos poucos identificando os pormenores desse texto. Digo, repito, picho os muros do teu caminho até que você entenda que eu te amo e que sou sua fã incondicional, milamor.

Giovanni disse...

=)

Anônimo disse...

eu li isso e fiquei com saudade de ti. de alguns anos atrás, qnd vc me mandava carta. rss

Deah

unpocodicool disse...

TRANSA DO CAETANO é um dos melhores cds de musica brasileira, its a long way é demais! Muito bom!vou fazer tudo hoje, é meu tempo! ;)