03 agosto 2011

Come together


Com os olhos fechados, a única coisa da qual ela tinha certeza era do calor das mãos dele sobre as dela.

Abre os olhos. Luzes amarelas emanando dos postes. Uma brisa que lhe causava um calafrio constante. Um emaranhado de vozes desconexas. E um tapele estrelado acima do grupo de amigos.

Cada um deles refletindo sobre um assunto diferente e, mesmo assim, se entendiam.
Fosse o assunto fim do mundo, teoria das cordas ou o novo CD da Adele, os dois não estariam prestando atenção, de qualquer maneira.

A verdade é que a cerveja já tinha acabado, o sono havia chegado, a brisa fria começava a incomodar, os amigos já não falavam coisa-com-coisa e a hora de voltar pra casa há horas vencida, nada ou tudo isso não importava.

Só o calor das mãos.

8 comentários:

Ágda disse...

Primeira, Hell yeah! (piada interna) haha

Sempre tenho uns déja vu quando leio teus textos. É sublime essa sensação.
Lindo
Eu só sei dizer isso.
Lindo.

Daniel Lira disse...

Vou começar a me negar a escrever depois da Ágda aqui! haha Brinks. Adorei. É engraçado como também me vejo nos posts, apesar de eu ter certeza que desse eu não participei, mas me lembra os bons momentos que temos juntos. Ó-TI-MO

Teresa disse...

(...) é um tal atrito, melhor que o contrato(...) Lindo,querida.

zil disse...

"Erótica é a alma!"
Já nos disse Adélia Prado.
Adorei seu post. Sou suspeita, estou há 48 dias com as mãos reféns de um toque.

Anônimo disse...

Calor das mãos embora possa virar paixão, é a sensação que todavia traz emoção ao coração.
TêrezaAugusta

Julhy Van Den Berg disse...

O texto tá lindo! Adorei.

Alan disse...

ficou tão bem (d)escrito, pensei no tamanho do aconchego... ;)

Rafael disse...

"Fosse o assunto fim do mundo, teoria das cordas ou o novo CD da Adele" baah, como vc sabe meus assuntos favoritos? :O
aushuahs, vc é ótima transformando momentos em palavras. *-*